PetroRecôncavo (RECV3) tem novo CEO, Itaúsa (ITSA4) resgatará debêntures e Cemig (CMIG4) quer prorrogar concessões

Confira os principais destaques do noticiário corporativo desta segunda-feira (27)

Felipe Moreira

Publicidade

O radar corporativo desta segunda-feira (27) traz a mudança na presidência da PetroRecôncavo (RECV3). O conselho de administração da companhia escolheu José Maria de Mello Firmo para ocupar o cargo deixado por Marcelo Campos Magalhães.

Já a Itaúsa (ITSA4) aprovou o resgate antecipado da totalidade das debêntures da 1ª série e da 5ª Emissão, com o desembolso de R$ 1,0 bilhão, acrescido da remuneração e do prêmio.

A Cemig (CMIG4) protocolou manifestação de interesse na prorrogação das concessões da usinas hidrelétricas Theodomiro Carneiro Santiago (UHE Emborcação) e UHE Nova Ponte.

Continua depois da publicidade

A Eletrobras (ELET3;ELET6) propôs a acionistas incorporação de Furnas.

A Eneva (ENEV3), por sua vez, enviou proposta não-vinculante para fusão de iguais com Vibra Energia (VBBR3).

Confira mais destaques:

PetroRecôncavo (RECV3)

A PetroRecôncavo informou que, após 15 anos, Marcelo Campos Magalhães renunciou ao cargo de diretor presidente da companhia, para dedicar mais tempo a assuntos pessoais.

Assim, o conselho de administração da PetroReconcavo, junto com a Heidrick & Struggles, escolheu José Maria de Mello Firmo para ocupar o cargo deixado por Magalhães.

Itaúsa (ITSA4)

A Itaúsa (ITSA4) aprovou o resgate antecipado facultativo da totalidade das debêntures da 1ª série e da 5ª Emissão, com o desembolso de R$ 1,0 bilhão, acrescido da remuneração e do prêmio conforme definidos na escritura.

O Resgate Antecipado é decorrente da estratégia de desalavancagem da companhia utilizando os recursos das alienações de ações da XP Inc.

Cemig (CMIG4)

A Cemig (CMIG4), por meio da subsidiária Cemig Geração e Transmissão, protocolou manifestação de interesse na prorrogação das concessões da usinas hidrelétricas Theodomiro Carneiro Santiago (UHE Emborcação) e UHE Nova Ponte.

A subsidiária Cemig GT é detentora das concessões das Usinas, nos termos do Contrato de Concessão nº 07/1997, as quais possuem potência instalada de 1.192 MW e 510 MW, respectivamente. O término da vigência da outorga das concessões da UHE Emborcação e UHE Nova Ponte ocorrerá em 26/05/2027 e 12/08/2027, respectivamente.

A Cemig GT reitera que essa Manifestação de Interesse tem como único objetivo assegurar seu direito na eventual prorrogação do Contrato de Concessão nº 07/1997, por até 30 anos, a critério do poder concedente, considerando a alternativa de transferência de controle acionário, direto ou indireto, nos termos da legislação vigente, que também possui premissas pendentes de definição pelo Ministério de Minas e Energia (MME).

Grupo Technos (TECN3)

O Grupo Technos (TECN3) comunicou que tomou conhecimento da prorrogação até dezembro de 2026, do benefício adicional de crédito estímulo e diferimento do ICMS ao produto relógio de pulso, na hipótese e condição estabelecidos no Decreto 48.569 de 22 de Novembro de 2023.

BB Seguridade (BBSE3)

A BB Seguridade (BBSE3) informou na noite desta sexta-feira, 24, que seu conselho de administração, em reunião realizada nesta data, nomeou Kamillo Tononi Oliveira Silva para a função de presidente do colegiado.

Kamillo irá substituir no conselho Marcelo Cavalcante de Oliveira Lima, cujo mandato havia sido estendido pela assembleia de acionistas realizada em abril deste ano.

Copasa (CSMG3)

A Copasa informou que, conforme reunião da Diretoria Colegiada da Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais – ARSAE MG, foi aprovado o reajuste nas tarifas de prestação de serviços públicos de abastecimento de água e de esgotamento sanitário da COPASA MG, cujo Efeito Tarifário Médio (ETM) é de 4,21%, sendo que sua aplicação se dará a partir de 01.01.2024.

Eneva (ENEV3) e Vibra Energia (VBBR3)

A Eneva (ENEV3) informou na noite de domingo (26) que submeteu uma proposta não-vinculante de combinação de negócios ao conselho de administração da Vibra Energia (VBBR3).

Segundo a proposta, inicialmente válida por 15 dias, a companhia combinada seria a maior distribuidora de combustíveis do Brasil, a maior plataforma de geração termoelétrica e seria a terceira maior empresa listada de energia do Brasil com valor de mercado, potencialmente levando a um crescimento significativo da liquidez de ações, com a expectativa de que seja superior a R$ 300 milhões por dia.

A proposta contempla a incorporação de ações da sociedade Eneva pela Vibra ou outra estrutura a ser estabelecida de comum acordo pelas companhias, de forma que o conjunto de acionistas de cada companhia, ao término do processo, passe a deter 50% do total das ações da companhia combinada.

Banco do Brasil (BBAS3)

O Banco do Brasil (BBAS3) aprovou no último dia 13 a distribuição de R$ 976,866 milhões a título de remuneração antecipada aos acionistas sob a forma de Juros sobre o Capital Próprio (JCP), relativos ao quarto trimestre de 2023.

O valor é equivalente a R$ 0,34230647023 por ação.

Os JCP serão pagos em 28 de dezembro de 2023 e terão como base a posição acionária de 11 de dezembro, sendo que os papéis serão negociados “ex JCP”  a partir de 12 de dezembro.

Itaú Unibanco (ITUB4)

O Itaú Unibanco (ITUB4) informou na sexta que seu conselho de administração aprovou o pagamento de R$ 0,24724 por ação sob a forma de juros sobre capital próprio (JCP).

A distribuição será feita até 30 de abril de 2024, com base na posição acionária registrada no dia 6 de dezembro deste ano.

Eletrobras (ELET3;ELET6)

A Eletrobras propôs aos acionistas a incorporação de Furnas, sua subsidiária, pela empresa. O assunto será votado em assembleia geral extraordinária (AGE) convocada para o dia 29 de dezembro. A companhia afirma que a operação aumentará a eficiência das operações.

A Eletrobras é a única acionista de Furnas, e anunciou em agosto que estudava a incorporação da empresa. Caso a proposta seja aprovada, as atividades da companhia passarão a ser exercidas diretamente pela Eletrobras, que diz que a mudança trará benefícios a todas as partes envolvidas.

BMG (BMGB4)

Segundo a coluna de Lauro Jardim, do jornal O Globo, o banco Bmg, controlado pela família Pentagna Guimarães, está trabalhando para fechar o capital. Ao InfoMoney, o banco informou que não se posicionará.

Planilha Gratuita

O seu bolso vai agradecer

Organize a sua vida financeira com a planilha de gastos do InfoMoney; download liberado

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.