Tentativas de fraude somam R$ 10 milhões na Black Friday 2023; veja categorias mais impactadas

6,8 mil ocorrências atravessaram a experiência de compras nesta sexta de promoções

Giovanna Sutto

Ilustração (Getty Images)

Publicidade

Entre 0h e 18h desta sexta-feira (24), a 13ª edição da Black Friday no Brasil registrou 6,8 mil tentativas de fraudes nas operações em território nacional. Em valores financeiros, as tentativas somam R$ 10 milhões, segundo dados exclusivos da Clearsale obtidos pelo InfoMoney.

O resultado representa uma redução de 41,4% na comparação com o mesmo período no ano passado e vem em linha com o projetado pela empresa de segurança e tecnologia para o varejo.

A tentativa de fraude é caracterizada quando um pedido é feito no e-commerce, com o fraudador realizando venda em nome de um varejista. Assim, mesmo que a fraude não seja concluída, a tentativa ainda é considerada uma atividade criminosa para a Clearsale, que presta serviço de segurança nas transações para o varejo, incluindo empresas como Magazine Luiza, Renner e Americanas.

Continua depois da publicidade

Apesar da queda no número, os golpes ainda vêm sendo apontados como principal problema nesta edição da Black Friday, conforme estudo do Reclame Aqui. E a quantidade de insatisfações já supera o volume de registros de todo o evento realizado no ano passado.

Em relação aos valores, segundo o estudo da Clearsale, até as 18h desta sexta (24), o ticket médio das tentativas de fraude foi de R$ 1.611,88, configurando 2,5% a mais que em 2022.

Entre as categorias mais impactadas pelas ações dos golpistas estão:

Entre os motivos da queda estão a expectativa de uma Black Friday mais fraca neste ano. Esse dado ainda não foi liberado para esse balanço parcial, mas a expectativa é de uma redução de aproximadamente 40,4% nos pedidos em relação a 2022, quando 6,1 milhões de compras foram feitas, considerando a sexta de Black Friday, sábado e domingo, conforme dados da empresa.

O endividamento e a restrição de crédito devem enfraquecer o consumo, além de desafios logísticos extras para essa edição com a seca histórica na região Norte – local que abriga a Zona Franca de Manaus e é polo de produção de algumas varejistas para fabricação de produtos, como ar-condicionado e televisão.

Giovanna Sutto

Repórter de Finanças do InfoMoney. Escreve matérias finanças pessoais, meios de pagamentos, carreira e economia. Formada pela Cásper Líbero com pós-graduação pelo Ibmec.